Não gostamos, ou aceitamos, quando tomam algo de nós sem a nossa vontade, odiamos ser roubados, tratados como trouxas e enganados. É natural do ser humano ser contra a irracionalidade e ser enganado. É evidente que não gostamos de ser roubados, mas por que deixamos o Estado tirar o que é nosso e julgar como certo?

Vejamos o seguinte exemplo: Chegam dois homens em sua casa, exigindo de você 37,5% do teu salário em uma premissa de prestarem serviços à comunidade e para você ao mesmo tempo, mesmo você às vezes não usufrua destes serviços. Você não pode negar pelo fato que eles te ameaçam, dizendo que vão lhe trancar em uma cela durante alguns anos caso não desse o dinheiro. Você só tem uma opção: dar o dinheiro e dizer bom dia.

Agora vejamos outro exemplo: Você chega para receber seu salário e dizem que vão descontar 37,5% do teu salário, para a prestação de serviços que o Estado fornece a sociedade – mesmo que você não usufrua-. Você se recusa, e a Receita Federal diz que se você não pagar esses 37,5% do teu salário, você será preso por sonegação. Sua única opção é dar o dinheiro e dizer bom dia.

Qual é a diferença entre esses dois casos?  Os dois homens são agiotas, logo são criminosos. Mas espere! O Estado não faz a mesma coisa? Por que não são considerados criminosos? Faço-me essa pergunta todos os dias. O Estado pode fazer o que bem entender e o cidadão tem que ficar calado e seguir o que ele dita.

O Estado odeia concorrência, por isso proíbe toda empresa que presta serviços monopolizados por ele. Telexfree? Proíbido por ser um esquema de pirâmide,mas espere, o estado não faz a mesma coisa com a previdência social? Jogo do bicho? Proíbido por ser um jogo de azar, mas não é a mesma coisa que a mega-sena? A concorrência é ruim apenas para o Estado.

O pior disto tudo é a desculpa que usam para justificar as proibições e manter o monopóilo sobre as ações: tudo para sua segurança. Segurança? Desculpe, mas eu apenas vejo segurança do Estado continuar espoliando seus cidadãos. Escrupulos são apenas para os cidadãos, pois o Estado não precisa se preocupar em cometer aquilo que ele proíbe, mas desde que esteja de acordo com seus interesses.

Não precisamos de um Estado babá dizendo para nós o que é melhor para a nós mesmos. Mas não: é tudo para a sua segurança.  Pessoas são capazes fazer suas próprias escolhas, não precisamos de alguém dizendo “faça aquilo e depois isso”.

Necessitamos realmente de um Estado forte e dizendo que é para a nossa segurança, ou seguiremos as nossas vontades e nossas escolhas? Garanto que você sabe o que é melhor para você, bem melhor que o Estado. Devemos deixar o Estado na posição de monopólio legal da espoliação ou temos que dar um basta?

“Os dois inimigos do povo são os criminosos e o governo. Então nos deixem prender o segundo com as correntes da Constituição, para que não se torne uma versão legalizada dos primeiros.” Thomas Jefferson

Lucas Pagani é estudante de Economia da FURG, coordenador do EPL/RS e colabora com o site do Clube Farroupilha.

As informações, alegações e opiniões emitidas no site do Clube Farroupilha vinculam-se tão somente a seus autores.